Rede monitora casos de covid-19 no território indígena e lança campanha de arrecadação de recursos

Boletim é divulgado semanalmente, às sextas-feiras, atualizando os dados da doença entre as etnias


Adriana Guarda para o JC | Publicado em 17/05/2020 às 16:07

Uma importante aliada dos povos tradicionais durante o momento da pandemia do novo coronavírus tem sido a Rede de Monitoramento de Direitos Indígenas em Pernambuco (Remdipe). O grupo existe de 2011, reunindo organizações da sociedade civil, universidades e movimentos indígenas, com proposta de acompanhar a aplicação dos direitos e das políticas públicas para os povos indígenas do Estado, mas se reorganizou no contexto da covid-19. O foco agora é criar uma rede de solidariedade no combate e prevenção à disseminação da doença entre os povos indígenas. >> Índios fazem o seu próprio lockdown em Pernambuco >> Fulni-ôs têm o maior número de casos entre as etnias em Pernambuco >> Índios se queixam da falta de EPIs, testes para covid-19 e mais hospitais equipados com UTI no interior

Nesse momento, a rede de solidariedade desenvolve duas ações e está preparando uma terceira. A primeira é a elaboração de um boletim para acompanhar a evolução da covid-19 nos territórios indígenas de Pernambuco. Publicado semanalmente, todas as sextas-feiras, o documento traz um mapa das populações, uma tabela dos casos (infectados, curados, óbitos) por etnia, uma linha do tempo dos casos e os comentários sobre a situação no Estado. O boletim já está no seu quarto número. O mais recente, divulgado na última sexta-feira (15), aponta para um total de 18 casos e quatro mortes. Os Fulni-ô têm o maior número de casos (13), seguidos por Atikun (2), Pankará (1), Pankararu (1) e Pipipã (1). Os óbitos foram registrados entre as comunidades Fulni-ô (2), Pankará (1) e Pipipã (1).

CAMPANHA

Além do boletim, a rede de solidariedade liderada pela Comissão de Professores (as) Indígenas em Pernambuco (Copipe), Comissão de Juventude Indígena em Pernambuco (Cojipe) e Articulação dos Povos Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (Apoinme) – microrregião Pernambuco – lançou uma campanha de arrecadação de recursos para ajudar no combate à propagação do coronavírus nas aldeias. Os recursos serão utilizados na compra de produtos para a higienização (como álcool em gel, álcool 70º e sabão) e EPI’s, que ainda são escassos nas áreas indígenas. As doações podem ser depositadas em conta bancária. O comprovante deve ser enviado para indigenas.contra.covid.pe@gmail.com para que depois seja realizada a prestação de contas. Professor do Departamento de Antropologia da UFPE e um coordenadores da Remdipe, Alexandre Gomes adianta que também está em discussão a elaboração de um diagnóstico da situação do combate à covid-19 nos territórios indígenas. “Neste momento, estamos discutindo o instrumental metodológico, com a participação de uma antropóloga e uma médica. A partir da semana que vem, esperamos implementar os questionários para conversar com lideranças, indígenas, profissionais de saúde e outros agentes”, destaca.

Serviço Campanha: Indígenas contra a covid-19 Banco: Bradesco Agência: 0286 Conta corrente: 131829-2 CNPJ: 03449406/0001-44 Apoinme

0 visualização
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone Spotify